17/11/2017

Novos diretores da Oi são proibidos de tratar da recuperação da tele

Fonte: Valor Econômico
Por Rodrigo Carro

RIO - Em decisão cautelar divulgada nesta sexta-feira (17), o juiz
Fernando Viana, da 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, determinou
que os novos diretores estatutários da Oi, Hélio Costa e João Vicente
Ribeiro, nomeados pelo conselho de administração da companhia no
início do mês, “se abstenham de interferir de qualquer modo em questões
relacionadas a este processo de recuperação judicial, bem como à
negociação e elaboração do plano de recuperação judicial”.
A informação foi adiantada ontem pelo Valor. Os dois diretores foram
indicados pelo acionista minoritário Nelson Tanure.
Viana esclareceu no documento que esses assuntos “permanecerão na
exclusiva competência da diretoria anteriormente nomeada, sem prejuízo
do regular exercício de suas outras atribuições operacionais na direção da
companhia.”
O magistrado justificou sua decisão alegando que, com essas medidas,
pretende dar estabilidade à atual administração para conduzir o processo
de recuperação judicial da Oi, “sem interferências de terceiros
potencialmente conflitados.”
Conselheiros da Oi, Costa e Vicente foram eleitos pelo diretores
estatutários para atender os interesses dos acionistas Pharol e Société
Mondiale (fundo ligado a Nelson Tanure), que desejam ver assinado um
acordo com o grupo de credores conhecido como G6. O documento
necessita da assinatura de dois diretores, mas a alta administração da
companhia se recusou a firmá-lo, alegando que o contrato contém
cláusulas prejudiciais à empresa.