01/10/2018

Para especialista, corte de benefício fiscal fecharia 30% das empresas do Simples

Por Ancelmo Gois

Fonte: O Globo

A difícil arte de cortar benefício fiscal
Como aumentar imposto virou palavrão — e é! —, os principais
candidatos à presidência do Brasil prometem bancar suas propostas
reduzindo os incentivos fiscais - que, segundo estudo do Banco Mundial,
representam 4,5% do PIB.
Mas cortar incentivos não é tarefa fácil, como mostra a decisão de Temer,
sexta, que cedeu à pressão da Coca-Cola e Ambev, entre outras, e restituiu
benefício fiscal às duas gigantes, na Zona Franca de Manaus.
Veja o caso do Simples. Pesquisa do Sebrae junto às microempresas do
país apontou um resultado impressionante, caso o Simples fosse extinto:
cerca de 30% fechariam as portas e perto de 20% se tornariam informais.
Apenas um em cada cinco optantes desse incentivo permaneceria
operando como hoje.
José Roberto Afonso, estudioso da questão fiscal, explica que, com isso,
simplesmente metade das microempresas passariam a arrecadar nada no
lugar de pouco: “O desemprego, nem precisa dizer que aumentaria ainda
mais”, provoca.