27/04/2018

Dólar e juros futuros acentuam queda após dados dos EUA

Por Lucas Hirata

Fonte: Valor Econômico

SÃO PAULO - O dólar e os juros futuros acentuaram a queda registrada no
início dos negócios numa reação imediata aos indicadores americanos
divulgados nesta sexta-feira. Um dos pontos que chama a atenção é a
desaceleração dos gastos com consumo nos Estados Unidos, que foram de
4% de aumento no último trimestre de 2017 para 1,1% nos três primeiros
meses deste ano.
Mesmo com a atividade em alta nos EUA no começo de 2018, o consumo
ainda lento pode inibir um aperto monetário mais duro do Federal Reserve
(Fed, banco central americano). Com isso, há espaço para ajustes positivos
para ativos de risco, como os de emergentes.
Nesta manhã, são justamente as divisas de emergentes que lideram os
melhores desempenhos diários dentre as principais moedas globais. O
destaque é o won sul-coreano, beneficiado pelo acordo de paz entre as
Coreias. Em seguida, parecem o peso das Filipinas, rublo russo e lira turca.
O real vinha em quinto lugar numa lista de 33 papéis.
Às 9h56, o dólar comercial caía 0,32%, a R$ 3,4652, tendo tocado mínima
em R$ 3,4632.
O contrato futuro para maio, por sua vez, recuava 0,09%, a R$ 3,4740.
O sinal do câmbio e o quadro externo também abre espaço para ajustes nos
juros futuros. O DI janeiro/2019 marcava 6,235% (6,245% no ajuste
anterior); o DI janeiro/2020 apontava 6,920% (6,940% no ajuste anterior) e
o DI janeiro/2021 caía a 7,900% (7,930% no ajuste anterior).
O DI janeiro/2023 cedia a 9,160% (9,180% no ajuste anterior) e o DI
janeiro/2025 recuava a 9,710% (9,730% no ajuste anterior).