01/12/2017

Comissão aprova dedução no IR das despesas de idosos com remédio

Fonte:Tributario.com

A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa aprovou proposta que
amplia as possibilidades de dedução no Imposto de Renda da Pessoa Física
das despesas com saúde, inclusive com remédios, óculos e próteses. O
relator, deputado Marco Antônio Cabral (PMDB-RJ), apresentou parecer
favorável ao Projeto de Lei 5854/13, do senador Paulo Paim (PT-RS).
O texto original previa que aposentados e pensionistas teriam o direito de
deduzir do IR, na declaração anual, as despesas com medicamentos. Como
a proposta tramita com 60 apensados, o relator optou por apresentar
um substitutivo em que aproveitou a maior parte dos textos a fim de
beneficiar principalmente os idosos.
Atualmente, conforme a legislação tributária federal (Lei 9.250/95), já é
possível deduzir os pagamentos efetuados a médicos, dentistas, psicólogos,
fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e hospitais, bem
como as despesas com exames laboratoriais, serviços radiológicos,
aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias. O substitutivo
acrescenta neste rol os gastos com cuidadores de idosos, casas de repouso
para idosos e próteses auditivas.
O relator definiu ainda como dedutíveis no IR as despesas efetuadas na
aquisição para uso próprio, com receita médica e nota fiscal, de
medicamentos, óculos e lentes corretivas de problemas visuais e próteses
auditivas a partir do mês em que o contribuinte completar 65 anos de idade,
desde que o rendimento mensal tributável médio seja inferior a seis salários
mínimos (hoje, R$ 5.622).
“Estamos aprovando, mesmo que parcialmente, todas as propostas que
pretendem instituir dedução de medicamentos de modo geral, pois
entendemos que, apesar de restringirmos o benefício aos idosos, parcela
dos contribuintes que as propostas pretendem beneficiar será atendida”,
disse Marco Antônio Cabral.
Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisada pelas
comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de
Cidadania.