O eclipse do governo nas políticas públicas e as autoridades reguladoras independentes

Por Felipe Sarkis

A insatisfação com as políticas públicas parece ser o tema predileto dos principais
agrupamentos sociais no século XXI, seja por força da irradiação gerada pelas redes
sociais, seja por decorrência do esgotamento do modelo democrático vigente – o que
acaba por trazer a tona questões extrajurídicas relativas à crise da representatividade.
As agências reguladoras, por suas vezes, possuem relevância para a elucidação do tema,
já que surgiram diante da necessidade de descentralização de tarefas a cargo do Estado,
na década de noventa, permitindo uma espécie de diálogo junto ao Governo para
execução das políticas públicas com maior autonomia e tecnicidade.

Leia Aqui o artigo na íntegra.